Banner Anúncio

ad

Jovem comete suicídio em Juazeiro




 Éricles Raniere, de 20 anos, residia no bairro Kidé. O jovem cometeu suicídio através de enforcamento; segundo sua vizinha e amiga, Adriana, o jovem era brincalhão e não era esperado o ocorrido por pessoas que o conheciam, mas afirma que ele deu sinal do que cometeria "ele falou que um dia iria cometer uma loucura, mas ninguém esperava por isso".
  Na rede social do rapaz, a foto do perfil é uma imagem que representa o luto, mudada pelo mesmo dias antes de falecer, confira:

"Ele passou na frente de casa e brincou com minha filha, era 21:40, por aí. Tava todo mundo na porta de Norma e ele passou, brincou e foi para a casa a avó, aqui do lado. Quando foi 22:30, mais ou menos, a avó dele entrou. Aí ela foi deitar e a filha dela, Tamires, tia de Raniere, foi procurar ele dentro de casa; ela falou que olhou nos cômodos da casa e não o achou, a moto dele tava lá e aí ela perguntou "cadê Éricles? Não está na cama e não saiu de moto". Aí ela olhou pra cima e viu ele enforcado com o lençol. Ela chamou minha filha e meu genro e eles foram lá ajudar, mas quando minha filha cortou a corda, ele já estava morto", relatou Adriana.

 Ele deixou uma filha pequena. Questionada pela equipe sobre o que poderia ter levado Éricles a tirar a própria vida, a amiga disse "a mãe dele acha que foi porque ele estava sem trabalho, é tanta coisa que a gente nem sabe o que dizer", "a avó e a tia falavam tanto desse menino, que era tudo para elas", completou.
  Esse caso reforça a necessidade de pautar o suicídio, e o quanto é importante que as pessoas se atentem a quem está ao seu redor para disponibilizar ajuda, abaixo, estão listadas algumas características de quem tende a cometer o ato (segundo o site Oficina de Psicologia):

  • Mais frequente nos homens que nas mulheres (2:1).
  • Presença de problema psiquiátrico/psicológico em pelo menos, 93% dos casos.
  • Perturbação do humor (depressão, bipolaridade) ou alcoolismo em 57-86 % dos casos.
  • Doença terminal em 4-6% dos casos.
  • Cerca de 66% comunicaram a intenção suicida (40% de forma clara).
  • Cerca de 33% tiveram tentativas anteriores de suicídio.
  • Cerca de metade não tinham contactado técnicos de saúde mental.
  • 90% tinham contactado serviços de saúde.